"Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo".
(Salmos 37:25).

 

 
 
 
"Porque não passa de um momento a sua ira; o seu favor dura a vida inteira. Ao anoitecer, pode vir o choro, mas a alegria vem pela manhã".
(Salmos 30:5).
 
 
Eu me surpreendi com a decisão final da irmã. Ela decidiu se submeter. Aceitar a injustiça para dar aos seus Pastores o reconhecimento que mereciam. Seguiu falando comigo todo aquele dia de segunda-feira. Ao fim da tarde despediu-se. Não estava triste, mas resignada. Dizia sentir "um frio no estômago", mas estava fortalecida e ia para a reunião com toda a segurança. Eu não a via, porém a imaginava como uma ovelha, mansa e triste, seguindo para o matadouro com toda a resignação.
 
Na terça-feira ela me convidou outra vez em conversa instantânea. Perguntei-lhe pela reunião. Ela me disse que acontecera e me contou algo que me fez incomodar os céus para entender como se passou.
 
 
 
 
Como eu dissera: ela voltou a falar comigo e estava muito feliz. Falou de como fora a reunião. Que os pastores aceitaram as verdades que ela contou. E que confirmaram ela no cargo. Falou que oraram juntos e foi de grande unção. Agora estava restabelecida e completamente fortalecida no Senhor.

 

E agora? Como fica o profeta diante disso? Veja o que disse Jeremias: "O Profeta que profetizar paz, só ao cumprir-se a sua palavra, será conhecido como Profeta de fato enviado do Senhor". (Jeremias 28:9).

 

Enquanto ela falava da reunião eu falava com o Senhor e pedia a Ele que me explicasse em que eu falhei. Pois eu nada disse que não tivesse vindo dEle. E recebi do Pai a revelação de que tudo tinha acontecido como devia ser. Que ela foi tirada da coordenação quando aceitou perder a liderança. E que recuperou o cargo quando se submeteu aos seus pastores e reconheceu o direito deles de decidir na igreja. E o Senhor me falou que com ela ocorreu o mesmo que houve com Abraão: ele aceitou o sacrifício de Isaque em holocausto e o Senhor o liberou da perda na última hora.

 

E o Senhor me falou: “Eu não quero a morte do pecador, mas que ele se converta e me deixe salva-lo”. Eu disse: amém, Senhor. Eu entendo. Mas como faço ela entender? Ele me disse: Mostre a ela o que Samuel disse a Saul. Então eu mostrei a ela:

 

"Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e a obstinação é como a idolatria e o culto a ídolos do lar. Agora, pois, te rogo, perdoa-me o meu pecado e volta comigo, para que adore o Senhor".
(I Samuel 15:22-23,25).

 

 

 
 
Para Saul, como sabemos, não houve remédio. Sua desobediência custou-lhe o seu reino, que passou para Davi. No caso aqui narrado foi diferente: aquela irmã se submeteu e se resignou. Por isso foi agalardoada com a permanência no seu cargo, agora nomeada pelos novos Pastores, a quem ama e obedece sem restrições.
 
O Profeta não mentiu e o Senhor não foi infiel à sua Palavra. Fica, somente, a lição a ser guardada para que conheçamos como e de onde nos vem a Profecia:
 
"O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu. Vós mesmos me sois testemunhas de que eu disse: Não sou o Cristo, mas sou enviado adiante dele. Assim, pois, este meu gozo está completo. É necessário que ele cresça e que eu diminua".
(João 3:27-30).
 
 
 
Tenhamos, pois, em nós, o mesmo pensamento de Paulo, que sendo um sábio segundo o mundo, se fez um louco segundo Deus, para que aqueles a quem ele levava o Evangelho não tivessem nele um opositor, mas sim um servidor.
 
 "Porque tenho para mim, que Deus a nós, apóstolos, nos pôs por últimos, como condenados à morte; pois somos feitos espetáculo ao mundo, tanto a anjos como a homens. Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós desprezíveis.Até a presente hora padecemos fome, e sede; estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, e nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos; somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e o suportamos; somos difamados, e exortamos; até o presente somos considerados como o refugo do mundo, e como a escória de tudo. Não escrevo estas coisas para vos envergonhar, mas para vos admoestar, como a filhos meus amados. Porque ainda que tenhais dez mil aios em Cristo, não tendes contudo muitos pais; pois eu pelo evangelho vos gerei em Cristo Jesus".
(I Corintios 4:10-16).
 
 
"Rogo-vos, portanto, que sejais meus imitadores".
 
 

 

 
 

 

     Pastor Luciano mqz - "O Bom Pastor"

      ICEU – Igreja Cristã Espiritualista Ubaldiana

      MISOM – Ministério Sacerdotal da Ordem de Melquizedeque (mqz).

      (Hebreus 5:5-6,10 e 7:11-19)

 

Ouça nossa Rádio

Rádio Iceunet.Org

Adicione ao Messenger:
 radioiceunetorg@msn.com
radio@iceunet.org

 

Clique AQUI e recomende essa página a um amigo.